Guiné-Bissau: Evolução da Sida considerada preocupante na Guiné-Bissau

 

 

 

 

 

A ONUSIDA publicou esta terça-feira em Genebra o seu relatório anual sobre a evolução da Sida a nível mundial, um documento segundo o qual 2,5 milhões de pessoas contraíram o vírus da Sida em 2011, a África Subsariana continuando a ser uma das regiões do mundo onde a situação é particularmente problemática.

Enquanto em Angola a taxa de prevalência da SIDA é considerada baixa, a evolução da epidemia na África do Sul e em Moçambique, cuja situação inspira cuidados há vários anos, continua a ser observada com preocupação em 2011. Embora a ONUSIDA reconheça alguns progressos em Moçambique relativamente ao acesso aos tratamentos e à redução do número de mortes, esta organização refere que são necessários mais esforços quanto à prevenção.

Entre os outros países Africanos onde a taxa de infecções tem vindo mais recentemente a suscitar preocupação, figura a Guiné-Bissau onde as Nações Unidas recensearam um aumento de pelo menos 25% de novas infecções.

A divulgação destes dados coincidiu com a organização em Bissau de um atelier com a duração de dois dias sobre a reavaliação da lei actualmente em vigor no país no tocante à prevenção, tratamento e controlo do VIH e Sida. Esta iniciativa da responsabilidade do Secretariado Nacional de Luta contra a Sida tem designadamente por objectivo a incorporação dos aspectos relacionados com os Direitos Humanos e de género na legislação sobre a matéria.

Em entrevista à RFI, Anaximandro Zyléne, Director da prevenção e comunicação do Secretariado Guineense de Luta contra a Sida começou por esboçar o quadro da evolução da epidemia no país.

Fonte: rfi.fr, Agência de Notícias de Resposta ao Sida, 23.11.12

Esta entrada foi publicada em GUINÉ-BISSAU, ONUSIDA, VIH/sida com as tags , , , . ligação permanente.